sexta-feira, 11 de janeiro de 2008

Bonito - Mato Grosso do Sul



Bonito é um município brasileiro do estado de Mato Grosso do Sul.
Bonito está localizado sobre o Planalto da Bodoquena, popularmente conhecido como Serra da Bodoquena.



A cidade está em meio a um dos vales desse planalto, cuja rocha predominante é o calcário. Entre tais rochas, há espaços, dos quais chamamos de grutas ou cavernas. Assim, no Planalto da Bodoquena devem existir mais de cem cavernas.



O núcleo habitacional que se transformaria na sede do Município de Bonito, iniciou-se em terras da Fazenda Rincão Bonito, que possuía uma área de 10 léguas e meia e foi adquirida do Sr. Euzébio pelo Capitão Luiz da Costa Leite Falcão, que aí se aportara em 1869, e é considerado o desbravador de Bonito, tendo sido também seu primeiro escrivão e tabelião.



A Lei Estadual nº 693, de 11 de junho de 1915, cria inicialmente o Distrito de Paz de Bonito, com área desmembrada do Município de Miranda e a este subordinado administrativamente. Com a criação do território Federal de Ponta Porã, pelo Decreto-Lei nº 5.839, de 21 de setembro de 1943, é lhe anexado como Distrito de Paz de Miranda.



Por força do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias da Constituição Federal, é reintegrado ao estado de Mato Grosso, na mesma situação de Distrito pertencente ao Município de Miranda.



Finalmente a Lei Estadual nº 145, de 2 de outubro de 1948, eleva-o a categoria de Município, tendo por sede a cidade de Bonito, constituindo termo judiciário da Comarca de Aquidauana, com um único Distrito, o da sede municipal, situação mantida pelo Decreto nº 1.738, de 30 de dezembro de 1953, que fixou o quadro territorial administrativo-judiciário do Estado, para vigorar no quinquênio 1954-1958.



Economia: Turismo, Pecuária , Agricultura e Mineração.
Pólo do ecoturismo em nível mundial, suas principais atrações são as paisagens naturais, os rios de água transparente, cachoeiras, grutas, cavernas e dolinas.



Bonito é possui uma reconhecida infra-estrutura de ecoturismo, pois esta é a principal atividade da região há muito tempo, além de estar em constante evolução buscando a interferência mínima na natureza.



A cidade conta com um conjunto de equipes, empresas, ONGs e órgãos governamentais que buscam organizar e coordenar o ecoturismo, visando sempre a sustentabilidade local e a conservação da natureza.



Bonito também estende sua maneira de ser e fazer para os municípios vizinhos e influencia as formas de se conduzir passeios no Pantanal.



Os rios em Bonito possuem características peculiares. São rios de águas transparentes. Uma transparência que impressiona pessoas de todo o mundo. Em alguns rios, como no Rio da Prata, localizado no município de Jardim á uns 60 km de bonito, a visibilidade da água pode atingir mais de 50 metros.



As pessoas, ao se depararem com estes rios tendem a atribuir isso à conservação ambiental, que por sua vez provém de um progresso econômico menor, menos ocupação humana, e o turismo como fonte de renda.



Com águas ricas em minerais (bicarbonato de cálcio e bicarbonato de magnésio), provenientes do calcário, sendo uma rocha abundante na região. Nas regiões mais montanhosas de Bonito, estas águas vão descendo pelos morros.



Ao encontrarem algum obstáculo, o cálcio que estava na água precipita. Pouco a pouco se forma uma queda e, em alguns anos, temos uma cachoeira.



Outra peculiaridade, além de cachoeiras, são as plantas que crescem sobre elas. O que faz o visitante ter a impressão que as cachoeiras estão vivas.

Grutas
Tais cavernas são úmidas, sendo que algumas possuem lagos em seu interior. Há também formas curiosas que descem dos tetos das mesmas, assim como outras formas nas partes de baixo.



Em geral são escuras, sendo a casa de pequenos seres, dentre eles, os morcegos, que possuem um papel fundamental na disseminação de sementes, assim como um transportador de alimento para dentro das cavernas, proporcionando o início da cadeia alimentar nas mesmas.



Realizar um passeio ao interior de uma caverna pode não ser tão simples, pois elas não foram feitas para a ocupação humana, porém há algumas que não possuem acesso difícil.



Apesar disso, caminhar dentro de uma caverna sem uma definição do caminho e sem pequenas informações a respeito do respeito à mesma, causará prejuízos a um bem natural não renovável, ou seja, se algo se quebrar ou for danificado, não se pode consertar porque não é renovável.

Há também outro aspecto curioso a respeito de cavernas. As cavernas são, pela Constituição Federal, pertencentes à União.



Assim, em Bonito há duas grutas para realização de passeios. A Gruta do Lago Azul (Tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - IPHAN, sendo inscrita em três dos quatro livros do Tombo, o etnográfico, paisagístico e arqueológico) e A Gruta de São Miguel. Ambas possuem a obrigatoriedade do uso de calçado fechado, não sendo solado liso, com idade mínima para visitação de cinco anos.



Vale também dizer que a Gruta do Lago Azul possui uma trilha em forma de escada bem rústica, sendo comparável a descer um prédio de doze andares e, depois subir. Então é melhor dizer que não é recomendável para pessoas com problemas cardíacos.
Além destas, existem outros lugares, tais como o Abismo Anhumas, sendo uma caverna com acesso apenas com rapel e também possui um lago para mergulho e snorkeling.



Em Jardim, a cerca de 60 km de Bonito, há um lugar chamado de Buraco das Araras, sendo uma espécie de gruta na vertical, denominada dolina, ou pseudo-dolina, como preferem alguns, devido a ter uma base de calcário, mas grandes paredes de arenito.



O passeio consiste em dar uma volta em seu entorno para a observação de pássaros.
Há também a Lagoa Misteriosa, uma dolina de cerca de setenta metros de profundidade que possui uma lagoa no fundo. Uma lagoa de águas azuis impressionante.



A visibilidade da água passa de 40 metros. Megulhadores profissionais já desceram a mais de 200 metros de profundidade nesta lagoa e não encontraram fundo. A água da lagoa vem de fontes subterrâneas, ou seja, ela circula, não está estagnada.



É claro que proteger a Natureza é importante para termos os rios limpos, mas rios de águas claras são características geológicas. Essas características somadas à conservação é que determinará como o rio será de fato.



Tudo começa com as rochas que predominam em Bonito. Há muitas, porém uma se sobressai diante das demais, o calcário, cuja procedência é de fundo de mar. Sendo uma rocha sedimentar, pois teve sua formação pela deposição de conchas (feitas basicamente de cálcio) e algas. Isso ao longo do tempo endureceu e formou uma rocha. Segundo muitos cientistas, isso teria ocorrido entre 500 e 600 milhões de anos atrás.



Nos dias de hoje não vemos nenhum mar nesta região, mas isso porque o tal mar, chamado de Mar de Corumbá deve ter existido na época da formação dos calcários, porém depois, possivelmente terremotos e movimentação das placas tectônicas, podem ter provocado um choque de dois antigos continentes, fechando o tal mar.



Ao longo do tempo, com movimentações tectônicas, eleva-se a Cordilheira dos Andes e, em seqüência, a formação do Planalto da Bodoquena, popularmente conhecido como Serra da Bodoquena. No subterrâneo, entre uma rocha e outra, entre um pedaço e outro da rocha, acumula-se água, o que chamamos de lençol freático, o que por sua vez, provém da chuva.

Esta água do subterrâneo atravessa pelas fraturas e partes da rocha calcária, recolhendo assim os minerais dela. Assim, nas diversas nascentes dos diversos rios que se formam pela região, surge uma água rica em bicarbonato de cálcio e bicarbonato de magnésio. Tais minerais não influenciam numa coloração da água e, por serem sais um pouco "pesados", tendem a levar uma possível "sujeira" para o fundo, como um filtro natural.



Como o subsolo é composto de calcário e, um calcário que teria sofrido muitos abalos e choques no passado, o subsolo é cheio de buracos. Isso possibilita que a água se espalhe formando muitos rios e, cada rio, normalmente possui algumas nascentes, também chamadas de surgências ou ressurgências.

Um rio, onde possui, principalmente, sua origem numa rocha chamada arenito, tende a ser um rio cheio de areia, por sua vez, marrom.



O calcário é comum em todo mundo. Assim em todo mundo há também rios nessas regiões. Porém o que torna Bonito especial é o fato de haver uma grande concentração de calcários, com poucas ocorrências de outras rochas.
Assim os rios de Bonito, certamente estão entre os mais claríssimos de toda Terra.

As cachoeiras de Bonito possuem características peculiares em relação a cachoeiras de outros lugares.



A quem diga que não se interessa em conhecê-las, porque já viram cachoeiras em outros estados da Federação ou, até mesmo já viram a impressionante Foz do Iguaçu, com suas cachoeiras gigantes e águas abundantes, mas as cachoeiras de Bonito não são tão grandes, nem tampouco de abundantes águas e, talvez não sejam destacadas pela beleza, mas eu posso dizer: Elas têm vida.



E cada cachoeira tende a crescer, pois a água sempre rica nos minerais do calcário, vai deixando o cálcio encima das folhas, gravetos e, encima da própria cachoeira, fazendo esta aumentar de tamanho, obrigando a água a desviar-se para o lado, mudando assim o curso dos rios.



Vemos em Bonito, nas proximidades das cachoeiras, algumas ex-cachoeiras, às vezes ocupadas pelas águas nos temporais.

Nenhum comentário:

JcSHOW

Seguidores

Onde está o rei!

JC no Youtube

Loading...

No you, it´s 4shared